Darcio Martins – Thinkaholic

Experience @ 2k11 * – A Caminho do Blunt Of Judah

Archive for the ‘Recursos Humanos’ Category

Geração Y e discernimento

leave a comment »

Vivemos em mundo cheio de inovações tecnológicas, onde qualquer informação está ao alcance de nossas mãos e no meio de tanta evolução percebo muita gente perdida, sozinha, precisando de atenção.

Estranhamente tanto acesso à informação parece trazer solidão e desencontro consigo mesmo, eis que “na ânsia de ser informado”, muitos se afastam de suas vidas, se abandonam, conhecem o mundo e não se conhecem. Desvendar o mundo parece ser tão fascinante e se conhecer talvez não seja, afinal pode ser um processo doloroso, ademais apontar os defeitos no mundo, nos outros, viver a vida dos outros é bem mais fácil.

Creio que a informação em demasia e toda essa série de facilidades que estão disponíveis a essa geração, tornou-se um àlibi perfeito que justifica o abandono a si mesmo, gerando um casulo de proteção contra os que tentam ir além da superficialidade.

Existe tanta gente que é incrível e que leva uma vida sem muito entusiasmo porque não enfrenta seus medos, porque não se conhece e porque simplesmente aceita os malditos rótulos que outros impõem e ainda usam esses para se isolar e privar o mundo de suas facetas, o que é lamentável.

Portando, o que falta mesmo a esta geração é discernimento pra filtrar/analisar o que é verdadeiramente importante e não se deixar levar pela publicidade, filmes, livros ou qualquer pessoa. Falta discernimento, falta saber separar o joio do trigo e saber olhar pra dentro de si mesmo, não superficialmente, mas profundamente.

Amplexos.

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

setembro 15, 2010 at 12:32 pm

Publicado em Business, Recursos Humanos

Crowdsourcing

with 2 comments

Se você ainda não sabe o que Crowdsourcing significa, assista ao vídeo. Se você já sabe, também assista, este é um vídeo muito bacana. Enjoy!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about "Crowdsourcing ", posted with vodpod

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

janeiro 4, 2010 at 6:38 am

(Anexo) Nem só de Feedback vive o colaborador: Feedback x Feedforward

leave a comment »

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

novembro 16, 2009 at 7:35 pm

Nem só de feedback vive o colaborador

with one comment

feedforward

Em terra de Feedback quem dá Feedforward é rei.

Um dos temas mais abordados sobre Liderança e Administração no dias de hoje é o tal Feedback. Mas o que é Feedback?

Segundo a Wikipedia (2009) Em administração, feedback é o procedimento que consiste no provimento de informação à uma pessoa sobre o desempenho, conduta ou eventualidade executada por ela e objetiva reprimir, reorientar e/ou estimular uma ou mais ações determinadas, executadas anteriormente.

Por exemplo um colaborador realiza uma tarefa e seu superior logo após o evento dá uma resposta positivia ou negativa ao empregado, analisa e expõem os pontos onde o colaborador acertou e os pontos onde o colaborador precisa melhorar/aperfeiçoar, isto é um feedback.

Hoje em dia é consenso todo bom líder deve dar Feedback aos seus colaboradores, pares, superiores e fornecedores. Todos entendem que feedback é um boa prática, e é mesmo.

Mas o que quero discutir com vocês neste post não é nada sobre feedback, mas sim sobre feedforward. Acredito que o Feedforward seja ainda mais importante que o feedback nas empresas.

O que é esse tal Feedforward?

Feedforward – É dar a alguém sugestões para o futuro que tivessem o máximo de utilidade.

O Feedforward ao contrário do feedback minimiza erros antes que estes aconteçam. A vantagem do Feedforward frente ao Feedback se dá no ponto em que este vem antes do evento realizado.

O grande problema do feedback é que ele está baseado no passado enquanto o feedforward está sempre um passo a frente. O feedback é limitado e estático, e não expansivo e dinâmico.

A parte mais interessante do feedforward é porque antes do evento a ser realizado este pode ser debatido. Existe a possibilidade da troca de conhecimento e experiências. Funciona como um grande filtro de erros, os colaboradores adoram dar sugestões, os líderes podem aprender novas maneiras de trabalho com o feedforward. Ambos ganham com o feedforward, funcionários e patrão. Os colaboradores podem contribuir dizendo qual a maneira que imaginam realizar o trabalho e agregar valor. Os Líderes indicam a direção e como deve ser realizada a tarefa.

10 boas razões para praticar o feedforward:

1. Através do feedforward podemos mudar o futuro, podemos discutir como as coisas são feitas.

2. É melhor indicar caminhos para alguém acertar do que apontar os erros. Feedback negativo geralmente se resume em provar que o outro está errado, e o quanto alguém é melhor do que outro. O Feedforward se concentra nas soluções.

3. As pessoas gostam de receber boas sugestões que contribuam para alcançar suas metas.

4. O feedforward anda em qualquer direção na hierarquia da empresa.

5. Às vezes, as pessoas levam o feedback para o lado pessoal. Com o feedforward, isso não acontece.

6. O feedforward parte do princípio de que as pessoas são capazes de fazer mudanças positivas para o futuro. O feedback tende a reforçar os estereótipos, as previsões de auto-satisfação e o sentimento de fracasso.

7. As pessoas não gostam de receber críticas, mesmo que sejam construtivas.

8. Mesmo que erros aconteçam a mentalidade do feedforward está em solucionar erros do futuro. O que passou passou. Vamos acertar na frente.

9. O feedforward tem o espírito esportivo de propor idéias e soluções.

10. O feedforward pode qualquer um da hierarquia organizacional, pode ser utilizado por diretores, líderes, gerentes, colegas de trabalho e membros da equipe. Não existem julgamentos.

Líderes prestem atenção! O feedback aponta erros do passado, mas o feedforward MUDA O FUTURO!

Grande abraço,

ARRBEBENTA!

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

novembro 12, 2009 at 3:58 pm

Atraindo e retendo talentos

leave a comment »

O grande fato é que são os talentos da empresa que elevam esta a um grande patamar de excelência, inovação e criatividade.

Inspirado em um podcast, farei um post ao estilo empresários aprendam. Espero que ajude as empresas nesta tarefa de atrair e reter talentos.

Segue alguns tópicos que deve estar no DNA de qualquer empresa que queira atrair e reter talentos:

1. Promova o pessoal bacana da empresa – Publique jornais interno com os feitos realizados pelos colaboradores da empresa, não precisa ser especificamente algo voltado ao business da empresa, mas fatos que promovam o sucesso e as realizações do colaborador. Esta ação irá inspirar não só o colaborador citado, como todos em seu redor.

2. Obsessão por Talentos – Procure os talentos dentro e fora da empresa, os promova e os premie verdadeiramente.

3. Mande embora – Segundo a teoria de Paretto 20% dos colaboradores carregam os outros 80% nas costas. Eu diria que desses 80%, 70% são colaboradores medianos e os outros 10% são empregados abaixo da linha da mediocridade. Mande embora todos medíocres. Se você não mandar embora essa gente, eles certamente influenciarão negativamente os Talentos e demais colaboradores da empresa. Chute as bundas gordas!

4. Os melhores do mundo – Não se contente em ter entre os colaboradores nada a menos que os melhores do mundo.

5. Só números não bastam – Quando se trata de talentos apenas o número de realizações profissionais e a ficha corrida dos títulos contidos não bastam. Procure pelos melhores contadores de histórias, pelos homens e mulheres de caráter e fibra, pelos entusiastas, pelos evangelizadores e por aqueles com atitude suficiente e coragem para chutar a própria bunda todos os dias.

6. Tenha um Departamento de Valor Humano ao invés de RH –  O capital humano é o maior ativo de qualquer empresa. Nunca deve ser considerado tão somente um recurso.

7. Invente uma estratégia – Faça campanhas de promoção dos talentos da empresa. Trate estas campanhas como a principal atividade do Depatamento de Valor Humano de sua empresa.

8. Pague boas gratificações aos talentos

9. Tenha uma métrica – Estabeleça um padrão de excelência a ser atingida, não se contente com pouco. Eleve o sarrafo sempre.

10. Treine –  Assim como o Cirque du Soleil treine muito seus colaboradores. Treine exaustivamente. Por quê esperar de seus funcionários algo menos grandioso do que uma apresentação do Circo do Sol?

11. Desenvolvimento Pessoal – Ajude seus colaboradores a ser não só profissionais melhores como também pessoas melhores.

12. Comunicação Aberta –  Dê feedback, mas não se esqueça do feedforward. Não esconda nada.

13. Respeite todos – Não subestime as pessoas.

14. Tecnologia – Invista em um ambiente tecnológico.

15. Encoraje as ideias malucas – Pessoas esquisitas e ideias malucas geralmente são descartadas imediatamente por gerentes e empresas. Agora quero perguntar: Você já viu uma foto da primeira equipe da Microsoft?

microsoft_1978
Se eu não dissesse que esta é a primeira equipe da Microsoft (foto tirada em 1978) você os contrataria?

16. Abrace as Gerações –  Somos todos seres com características únicas. Abrace a diversidade. Todos temos algo a ensinar e a aprender.

17. Nada é sagrado –  Frases como “nós sempre fizemos deste  jeito e não vamos mudar”  não vale nada em uma empresa que quer atrair Talentos. Aliás, em qualquer empresa que queira progredir os paradigmas de ‘status quo’ devem ser quebrados.

18. Esteja Alerta –  Fique de olhos bem abertos, 27/7, quanto ao surgimento de um talento, dentro ou fora da empresa.

Amplexos, c ya!

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

outubro 27, 2009 at 9:07 pm

Com 15 anos de idade um X também foi Y

with 3 comments

father_son

Com 15 anos de idade uma pessoa rotulada como da geração X também teve as mesmas peculiaridades de um Y.

Amigos, venho percebendo que muitos especialistas vem discutindo as gerações. Classificam as gerações entre Baby Boomers aqueles que nasceram após a 2 Guerra Mundial (entre 1946 e 1964), Geração X os nascidos aproximadamente entre 1965 à 1981 e Geração Y ou conhecido também como geração internet e nascidos entre após 1980. Aliás agora uma nova categoria está entrando em pauta, seria a Gen Z. Mas essa história ficará para outra oportunidade.

Bem, venho discutir esta prática, a prática de ‘tagear’, rotular, dividir e categorizar pessoas. Tenho acompanhado na internet, nos livros, revistas, imprensa e em outras mídias, várias discussões sobre as Gerações. Ontem mesmo aqui em São Paulo, no #resultsonday houve diversas palestras sobre o tema gerações. Palestraram no evento pessoas importantes como o professor da ECA, o ilustre Luli Radfharer e o escritor Sidnei Oliveira. Na platéia encontrava-se vários jovens, jornalistas e profissionais de Recursos Humanos.

Tenho comigo que esta história de gerações não é algo que deva mesmo ser levado em conta, afinal é essa mesma turma que se diz estudiosa das Gerações, profissionais de Marketing, Recursos Humanos, Gestão de Pessoas, Administração que dizem que nos seres humanos somos únicos. É neste ponto que me apego, se somos realmente únicos por que essa incessante busca por categorizar Gerações (pessoas).

Somos únicos. Nós seres humanos somos pessoas com diferenças peculiares intrínsecas. Diferenças presentes em cada indivíduo. Somos únicos por natureza.

Uma constatação: Dizem que os Y’s são contestadores, sempre discutem velhos preceitos. – Pergunto: Com 15 anos de idade uma pessoa que hoje tem 35 anos de idade também não contestava seus pais e os preceitos/postulados da época? – Claro que sim.

Os X’s também tinham essa postura de um Y’s de hoje quando com 15 anos de idade. Eles experimentaram as drogas, eles provaram do amor livre e estiveram em Woodstock.

O que existe não são diferenças entre gerações mas sim amadurecimento do indivíduo.

As gerações são iguais, o que muda é apenas o cenário e o ambiente atual. Visualize, primeiro estávamos todos trabalhando na roça e o pai dizia: – Filho, largue este livro e venha ajudar no trabalho da roça. Anos seguintes: – Filho, largue esta televisão e vá ler um livro. Anos depois: – Filho, largue esta internet e venha assistir TV junto de toda a família. Percebe? Não há diferença entre gerações existem apenas novos hábitos e novos cenários.

As pessoas continuarão sendo sempre únicas. Filhos sempre contestarão os pais. Funcionários sempre irão reclamar de seus chefes. E nada disto é culpa das gerações, mas é algo intrínseco nas pessoas.

Amplexos, c ya!

Clique no link Leave a Comment logo abaixo do título do post e dê também suas dicas .

Darcio Martins

Messenger/E-mail: darcio_martins[at]hotmail.com
Twitter: http://www.twitter.com/darcio_martins

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

setembro 24, 2009 at 9:57 pm

Mídias Sociais e Selecionadores: A Recíproca é verdadeira

leave a comment »

Todos os dias vejo um novo artigo/post nos portais, sites e blogs pela web sobre como os selecionadores/recrutadores vem utilizando-se das ferramentas da internet para encontrar candidatos e para vasculhar a vida social e profissional destes. Pois bem, neste post irei lembrar vocês candidatos: A recíproca é verdadeira. Sabemos que as empresas usam e abusam da internet para conhecer os candidatos, mas por quê não usamos a mesma técnica a nosso favor? Devemos fazer a lição de casa.

Na verdade muitos já fazem, ao ser convidado para uma entrevista de emprego os candidatos tem usado cada vez mais as redes sociais para pesquisar sobre as empresas e também sobre os selecionadores. Entram no perfil do recrutador, sites como Linkedin, Plaxo, Orkut e Twitter são os preferidos. Fazem buscas no Google com o nome completo do selecionador obtendo o máximo de informações. Criam um verdadeiro mapa sobre os interesses da empresa e do profissional responsável pela contratação.

Talvez você ainda não faça isso, mas eu faço. A primeira coisa que faço antes de uma entrevista é a tal lição de casa. Pesquiso a maior quantidade possível de informações que me sejam úteis no momento da entrevista. Isso me dá uma grande vantagem, pois conhecendo os interesses, crenças e valores do selecionador fica então muito mais fácil ganhar a simpatia deste.

Portanto, sempre dê uma boa conferida no site da empresa para qual fará entrevista, estude a história, a filosofia, a cultura, a crença, a missão, a visão e os valores da compania. Busque no Google/Bing/Yahoo e nas rede sociais informações sobre os selecionadores. Leia com atenção seus perfis, perceba seus interesses, em quais comunidades participa, se participa de fóruns especializados e se é ligado a família. Procure por pontos afins, durante a entrevista use com sabedoria as informações e com toda certeza terá vantagem frente a um cadidato despreparado.

Alguns dirão, mas que post água com açúcar este seu Darcio. Ok. Sim, este  é com certeza um post água com açúcar, mas pergunto: – Você tem feito a lição de casa antes das entrevistas?

Prepare-se. Faça a Lição de Casa!

Amplexos, c ya!

Written by Darcio Martins Mogi das Cruzes/SP

setembro 21, 2009 at 2:55 pm